Ladeira Porto Geral, na região da 25 de Março, ganha puxadinho para pedestres

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Conhecida por estar sempre cheia de pedestres dividindo espaço com veículos, a ladeira Porto Geral, famosa rua de compras na região da 25 de Março, no centro da capital paulista, vai ter a área para circulação de pessoas ampliada. A calçada do lado direito da via ganhou um puxadinho, com uma faixa pintada no asfalto. Segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, a medida tem objetivo de aumentar o distanciamento social, reduzindo a aglomeração de pessoas, tão comum na época das compras para festas de fim de ano. Quem passa pelo local já pode ver a faixa colorida, com flores e folhas, pintada no local em que antes era permitido parar veículos. A arte foi uma proposta das ONGs ligadas à mobilidade parceiras do projeto, como SampaPé, Cidadeapé e Instituto Aro MeiaZero. A pintura, que começou a ser feita no último domingo (18), ainda traz mensagens lembrando a importância de manter distância entre as pessoas nesse período de pandemia do novo coronavírus. O espaço para os pedestres tem 110 m de comprimento, 2,2 m de largura, quase metade dos 5 m totais da via. No horário comercial, passam por hora na via cerca de 13 mil pedestres e aproximadamente 170 veículos, segundo a secretaria. Segundo a secretaria, a exclusividade para pedestres na faixa já está valendo. Nesta terça-feira, no entanto, muitos veículos invadiam o espaço. Até ambulantes exibiam seus produtos no asfalto. A pasta informou que vai reforçar a orientação no local, para que motoristas e pedestres respeitem a nova sinalização. Os impactos da ação serão monitorados na região, segundo a secretaria, e sua continuidade ou ampliação dependerá da avaliação dos resultados observados. As medidas para facilitar a circulação de pedestres foram discutidas em oficinas virtuais, com entidades ligadas à mobilidade e representantes do poder público, realizadas em agosto. Além de estudos técnicos, os primeiros endereços que devem receber intervenções levaram em conta “fluxo de pedestres, vias com concentração de comércio e serviços, bem como a proximidade de estações de metrô, terminais de ônibus e hospitais”, segundo a secretaria. A avenida Kumaki Aoki, no Jardim Helena, extremo da zona leste de SP, foi a primeira via a receber obras para ampliação de calçadas durante a pandemia, para evitar aglomeração de pedestres.

Deixe um comentário