Corinthians leva cinco e sofre sua pior derrota em Itaquera

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Corinthians sofreu sua maior goleada na Neo Química Arena ao ser atropelado pelo Flamengo por 5 a 1, neste domingo (18). A partida foi válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. O maior tropeço em Itaquera, inaugurado em maio de 2014, havia sido imposto pelo próprio Flamengo por 3 a 0, no dia 5 de outubro de 2018 pela mesma competição. Mesmo desgastado pela maratona de cinco jogos nos últimos 12 dias, na qual somou quatro vitórias e um empate, o time rubro-negro deixou evidente o árduo trabalho que Vagner Mancini terá para organizar o Corinthians, que não levou sorte com a estreia de seu terceiro uniforme em homenagem ao Corinthian-Casuals, clube inglês que inspirou a criação da agremiação paulista fundada em 1910. A equipe tentou surpreender o Flamengo com lançamentos desde o seu campo de defesa. Essa receita deu certo na vitória sobre o Athletico na última quarta-feira (14), mas não foi suficiente diante da qualidade dos visitantes deste domingo. Everton Ribeiro, alijado do Corinthians há dez anos, abriu o placar com um cabeceio certeiro depois do cruzamento com efeito de Filipe Luís, aos 31 minutos. Ao contrário de atletas que não comemoram gols marcados contra ex-times, o paulista de Arujá festejou bastante em Itaquera. Hoje meia do Flamengo e da seleção brasileira, Everton Ribeiro começou a carreira no Parque São Jorge como lateral esquerdo na campanha do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2007, mas nunca se firmou no clube. Aos 31 anos, o flamenguista é uma das peças da seleção de Tite, curiosamente o técnico que o dispensou do Corinthians em 2011, quando o atleta se transferiu para o Coritiba. Everton Ribeiro voltaria a infernizar os corintianos já no início da etapa final. O meia pegou a bola na direita, driblou Lucas Piton e rolou para Vitinho, que de fora da área dominou e mandou no canto direito de Cássio para ampliar. Após o sofrer o segundo gol, Mancini fez três mudanças de uma só vez. Colocou Luan, Cazares e Gustavo nos lugares, respectivamente, de Otero, Boselli e Mateus Vital. Mal teve tempo de surtir efeito, e viu o Flamengo chegar ao terceiro gol com Natan, que ganhou de Everaldo e Fagner pelo alto para escorar de cabeça. Gil descontou para o Corinthians, aos 18 minutos. Mas o Flamengo logo esfriou qualquer reação, com Bruno Henrique desviando cruzamento de Isla, aos 26 minutos. O atacante ainda serviu Diego, que entrou no segundo tempo para marcar o quinto e fechar a goleada. O meia se livrou de Gil e superou Cássio. Na saída de campo, o goleiro, que estava suspenso e não atuou na vitória contra o Athletico, fez um desabafo. “Ultimamente tem sobrado tudo para mim. O time não ganha é culpa do Cássio, o time não faz gol é culpa do Cássio, e antes que falem algo, não acho que sou maior que o Corinthians, não me acho intocável. Mas nesse momento acho que estou sendo escudo”, disse o goleiro, que sofreu cinco gols em um jogo pela segunda vez com a camisa do clube. “No momento que eu atrapalhar o Corinthians, é melhor eu procurar outro lugar.” CORINTHIANS Cássio; Fágner, Marllon, Gil e Lucas Pito; Xavier, Camacho (Gabriel) e Otero (Luan); Mateus Vital (Gustavo Mantuan), Everaldo (Gustavo Mosquito) e Boselli (Cazares). Técnico: Vagner Mancini FLAMENGO Hugo Souza; Isla, Gustavo Henrique (Gabriel Noga), Natan e Filipe Luís; Thiago Maia (Willian Arão), Gerson, Vitinho (Diego) e Everton Ribeiro (Ramon); Bruno Henrique e Pedro (Lincoln). Técnico: Domènec Torrent Estádio: NeoQuímica Arena, em São Paulo (SP) Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Jose Eduardo Calza (ambos do RS) VAR: Wagner Reway (PB) Cartões amarelos: Xavier, Camacho, Otero e Luan (C); Natan, Bruno Henrique, Thiago Maia, Filipe Luís e Gerson (F) Gols: Everton Ribeiro, aos 31min do primeiro tempo; Vitinho, aos 6min, Natan, aos 12min, Gil, aos 18 min, Bruno Henrique, aos 26 min, e Diego, aos 40min do segundo tempo

Deixe um comentário