Poupatempo reabre oito unidades em SP para alguns serviços

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Oito postos do Poupatempo irão reabrir para atendimento presencial, nesta quarta-feira (19). Sé (centro da capital paulista) e Itaquera (zona leste), São Bernardo do Campo, Mauá e Mogi das Cruzes (na Grande São Paulo), Santos e Guarujá (Baixada Santista) e Bauru (329 km de SP) são as unidades que voltam a receber público. O agendamento começa nesta terça-feira (18), pelo site da instituição. Também nesta terça (18), o Poupatempo promove o segundo dia de mutirão para retirada de RG nas unidades da Sé e Itaquera. Ele é exclusivo para solicitações de carteira de identidade e a expectativa é que sejam atendidas cerca de 3 mil pessoas. Na retomada das atividades presenciais nas oito unidades serão priorizados os serviços que exigem atendimento presencial, como primeira emissão de CNH e expedição de RG, por exemplo. Os demais continuam mantidos de forma remota. Atualmente, 70% dos atendimentos oferecidos pelo Detran-SP e 50% dos prestados pelo Poupatempo já estão disponíveis online. Embora as unidades do Detran sigam fechadas por causa da pandemia de Covid-19, o órgão de trânsito paulista passou a oferecer atendimentos presenciais em clínicas terceirizadas, como aos usuários que tiveram suas CNHs (carteiras de habilitação) vencidas antes de 19 de março e precisam realizar exames para renovar o documento. Mas estes serviços ainda não são obrigatórios. Quem teve a habilitação vencida após esta data, na época em que começou a quarentena, ainda não precisa se preocupar com a renovação, que segue suspensa e sem data para retornar. Mas se quiser, pode procurar uma das clínicas credenciadas, mesmo não sendo obrigatório, por enquanto. Entre os serviços presenciais já oferecidos estão exames médicos, psicotécnicos e psicológicos. Para isso, os motoristas precisam antes de comparecer aos locais agendar o atendimento por meio de um aplicativo ou do próprio site do órgão. Aulas de direção práticas e teóricas, além das provas práticas, também foram retomadas, respeitando alguns protocolos sanitários específicos do setor para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Por outro lado, a quarentena fez o Detran acelerar os atendimentos não presenciais, ampliando em 48% as opções de serviços que podem ser feitos pela internet –são cerca de 60. Pelo site do órgão de trânsito, o motorista pode solicitar o licenciamento de veículos ou o registro dos zero-quilômetro, ou fazer pesquisa de restrição de compra e venda e informações sobre comunicação de venda. O licenciamento anual, aliás, continua sendo um procedimento obrigatório, cuja falta gera infração prevista no artigo 230 do Código de Trânsito. Com a pandemia, passou a ser feito online e, segundo a assessoria de imprensa do órgão, seguirá dessa forma mesmo depois. Com o número do Renavam, após pagar os débitos vinculados ao veículo e a taxa do licenciamento, o CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) fica disponível para download e impressão no portal do Detran e no aplicativo CDT (Carteira Digital de Trânsito) do governo federal. Mas nem tudo pode ser feito pela internet. O proprietário precisa levar o veículo para vistoria em uma empresa credenciada, no caso de transferência, ou para emplacamento. E em alguns casos é preciso esperar. As multas de trânsito, por exemplo, não estão sendo enviadas para o endereço do motorista e, por isso, não é possível recorrer. Ernesto Mascellani Neto, presidente do Detran, afirma que a tendência é que cada vez mais os serviços sejam feitos pela internet. “Isso [atendimento online] é irreversível. Quem não quer resolver do sofá de casa suas questões [ligadas ao Detran]? Alguns processos trazem mais comodidade, conforto ao cidadão e eficiência no atendimento.”, afirma. Ele estima que, após o fim da pandemia, os atendimentos presenciais caiam até 70% no Detran e ocorram nos locais estritamente serviços que precisem ser feitos pessoalmente, como as coletas de biometria. A digitalização dos serviços já era um plano do órgão. O processo somente “foi capitalizado” por conta do coronavírus, que exigiu uma adaptação em tempo recorde para se adequar à demanda, segundo Ernesto. “Emplacamento, renovação de CNH, só tirando ir ao médico, quase tudo que precisava fazer presencialmente, não precisa mais”.

Deixe um comentário