Vídeo de Sara Giromini é removido do Facebook por colocar pessoas em risco

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Facebook removeu vídeo publicado pela extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, no qual ela expunha informações sobre a menina capixaba de dez anos de idade que engravidou após ter sido estuprada. A empresa afirmou à reportagem que a publicação infringia suas políticas e colocava pessoas em risco. “O vídeo em questão foi removido por violar nossas políticas ao promover potenciais danos a pessoas no mundo offline de forma coordenada”, disse o Facebook em nota. No domingo (16), como publicado pelo jornal Folha de S.Paulo, a Justiça do Espírito Santo determinou que Twitter, Facebook e YouTube (Google Brasil) retirassem do ar em até 24 horas publicações que contivessem informações sobre a menina. A decisão liminar foi tomada após ação civil pública protocolada pela Defensoria Pública do Espírito Santo, que indicou os links que considerou que colocavam em risco a menina e sua família. Sara Giromini chegou a publicar o nome da vítima, contrariando o que preconiza o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Em nota, o Twitter afirmou que “tem regras que determinam os comportamentos e conteúdos permitidos na plataforma, e violações a essas regras estão sujeitas às medidas cabíveis”. Também disse que não comenta “casos específicos”, mas “coopera com as autoridades competentes em observância à legislação brasileira. Essa postura decorre do compromisso com as leis locais e o respeito às ordens e requisições que nos são destinadas”. O YouTube (Google Brasil) não se pronunciou até o momento.

Deixe um comentário