PSOL entra com representação contra militante por expor dados de criança que engravidou após estupro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A bancada do PSOL na Câmara vai protocolar nesta segunda (17) uma representação contra a extremista Sara Giromini, mais conhecida como Sara Winter, por expor informações sobre a menina capixaba de dez anos de idade que engravidou após estupro. O documento será protocolado no Ministério Público do Distrito Federal e na Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão. Sara chegou a publicar o nome da vítima, contrariando o que preconiza o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). No domingo (16), o hospital em Recife (PE) no qual ela estava internada foi cercado por manifestantes que a pressionavam para que não fizesse o aborto autorizado pela Justiça. A família da menina e profissionais do hospital foram hostilizados. Os parlamentares solicitam a investigação e apuração das responsabilidades de Sara, com imediata tomada de depoimento, para que ela esclareça de que forma teve acesso aos dados sigilosos da menina. A bancada também solicita a busca e apreensão de “todas provas e indícios que envolvam os fatos aqui narrados com o objetivo de interromper a possível destruição de provas, nos termos do Código de Processo Penal”. Os parlamentares também pedem uma indenização por dano moral coletivo para ser revertida em favor de organizações que atuam em defesa dos direitos humanos. ​ A deputada Áurea Carolina (PSOL-MG) está coletando assinaturas para que a Frente Parlamentar Antirracista e a Feminista também assinem o documento.

Deixe um comentário