Palmeiras volta a pagar salário integral em agosto, mas adia direitos de imagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Depois de três meses com 25% de corte salarial, o Palmeiras voltará a pagar de forma integral o salário em carteira dos jogadores, de Vanderlei Luxemburgo, do gerente Cícero Souza e do diretor de futebol Anderson Barros. O clube ainda não voltará a depositar os direitos de imagem, que estão sendo parcelados para a temporada que vem. A diretoria afirma ter se esforçado para não demitir funcionários durante a paralisação devido à pandemia e agora trabalha fortemente para melhorar o fluxo de caixa. Neste mês, o Palmeiras recebeu R$ 9 milhões em prêmios pelo título do Campeonato Paulista, além de cerca de R$ 42 milhões pelo empréstimo de Dudu ao Al-Duhail, do Qatar. A quantia pelo camisa 7 já foi depositada, e à vista. As conversas ocorrem mensalmente para definir o que pode ser feito sem prejudicar ainda mais os cofres do clube. Conforme revelou o GE, o Palmeiras acertou o retorno do pagamento em carteira e o adiamento dos direitos de imagem —as parcelas de maio até outubro serão quitadas em 2021. De acordo com a lei, os vencimentos precisam ser divididos da seguinte forma: pelo menos 60% em carteira e no máximo 40% em direitos de imagem e luvas. O corte de 25% no salário em carteira ocorreu entre os meses de maio, junho e julho. O pagamento da folha de agosto ocorrerá em 5 de setembro.

Deixe um comentário