Tornados deixam feridos, desabrigados e provocam rastro de destruição em Santa Catarina

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A passagem de dois tornados, entre a última sexta (14) e a madrugada deste sábado (15), deixou um rastro de destruição em cidades da região oeste de Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil do estado, o fenômeno climático feriu ao menos 16 pessoas, deixou 830 pessoas desabrigadas e outras 65 desalojadas. Danos foram registrados em pelo menos 26 municípios catarinenses. Cerca de 40 mil residências ficaram sem energia elétrica, segundo balanço parcial da Defesa Civil. Houve a ocorrência de granizo, chuva forte e rajadas de vento de até 100 km/h. Imagens que circulam pela internet mostram casas destruídas, ruas alagadas, dezenas de árvores caídas e caminhões e veículos tombados. Os tornados se formaram nas cidades de Água Doce e Irineópolis -a distância entre as duas cidades é de aproximadamente 100 km. “O deslocamento da chamada supercélula, com características tornádicas, foi registrado na sexta pelo radar meteorológico Oeste entre 15h30 e 15h35 no município de Água Doce”, informou a Defesa Civil. Em Água Doce, 700 pessoas estão desabrigadas e 25 desalojadas. Cerca de 700 casas foram destelhadas e 25 totalmente destruídas. O município também concentra o maior número de feridos: 11 -sendo que duas pessoas continuavam hospitalizadas em estado grave neste domingo (16). A destruição causada no município forçou o prefeito Antonio José Bissani a decretar estado de calamidade pública. Em Catanduvas, 235 casas tiveram os telhados danificados e duas foram destruídas. Em Ibicaré, danos foram registrados em três comunidades, duas igrejas e dois pavilhões. Na cidade de Tangará ocorreram destelhamentos em 90% das casas -100 pessoas estão desabrigadas e 20 desalojadas. Outras cinco ficaram feridas. Já em Vargem Bonita, o primeiro balanço da Defesa Civil apontava 1.300 casas com os telhados danificados, 30 pessoas desabrigadas e 20 desalojadas. Os moradores das cidades mais afetadas pelo tornado e que perderam tudo foram levados para abrigos improvisados em ginásios e escolas. Foi disponibilizada lona para cobrir as casas detelhadas e, na sequência, um levantamento dos prejuízos será feito para subsidiar a entrega de telhas, colchões, cestas básicas e outros itens para as famílias afetadas. A Defesa Civil informou ainda que emitiu alertas à população que indicavam a ocorrência de tempestades severas desde o início da semana passada. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) divulgou neste domingo um novo alerta sobre a ocorrência de grandes volumes de chuva em parte da região oeste do estado. Santa Catarina vem sendo atingida por fenômenos climáticas severos desde o mês de junho, com registros de tornados, ciclone-bomba e chuvas fortes que provocaram mortes e muitos estragos.

Deixe um comentário