Palmeiras recebe o Goiás em busca da primeira vitória no Nacional

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Palmeiras busca vencer pela primeira vez na edição 2020 do Nacional. O time de Vanderlei Luxemburgo estreou com um empate com o Fluminense no Rio de Janeiro e agora receberá o Goiás em casa. O técnico demonstrou preocupação com a sequência de jogos do time. Com vários atletas desgastados fisicamente, a equipe pode ter mudanças. Apesar disso, o treinador não tem dado chances para o jovem meia Alan, 20, o que tem sido alvo de críticas por parte da torcida. O armador deixou uma boa impressão quando entrou nos duelos da Florida Cup, mas segue sem uma partida oficial em 2020. Segundo o técnico Vanderlei Luxemburgo, o garoto ainda não mostrou nos treinos que mereça de fato uma oportunidade. “Se eu não coloquei, o menino ainda não mostrou para mim que merece ter uma oportunidade, ou então eu já tinha colocado. Quero colocar, mas ele tem que mostrar que merece a oportunidade no treinamento. Tem que matar um leão por dia. Tem que mostrar que joga bola para colocar. O Alanzinho é bom jogador, muito técnico, mas no treino precisa mostrar que eu preciso dar uma chance. Aí eu vou colocar. Se não fizer isso, não tenho como dar chance. Isto vale para todos os atletas”, afirmou Luxa, à rádio 9 de Julho. Raphael Veiga e Lucas Lima foram os meias que mais jogaram na temporada, mas nenhum deles se firmou, tanto que o clube conquistou o título paulista sem armadores. Gustavo Scarpa foi menos usado, e também está em baixa. Mesmo neste cenário, Alan muitas vezes nem é relacionado. “Você trabalha a recuperação do jogador e ele precisa mostrar que pode continuar. Estou dando oportunidades, mas eu tinha de ganhar um título. Encontrei uma formação mais sólida, mais firme, e com as mudanças ao longo do jogador eu fui tornando a equipe mais agressiva, contra o adversário mais cansado”, acrescentou. Na entrevista, o técnico respondeu sobre a dificuldade para encontrar um esquema após a saída de Dudu. Além de principal jogador do Palmeiras nos últimos anos, o camisa 7 tinha um papel importante no esquema com quatro atacantes, usado antes da pausa do futebol por conta da pandemia do coronavírus. “A mudança sem o Dudu não era o posicionamento dele, mas da equipe como um todo. Eu trabalhava antes da pandemia e fazia trabalhos táticos todo dia. Era físico, técnico e tático. A gente fazia o time entender nossa ideia com a linha mais alta, o perde e pressiona. Eu queria que ele (Dudu) fosse o quebrador de linhas. Com o Rony e o Veron, que estamos olhando com carinho, eu teria um jogador que quebra linhas”, encerrou. No Goiás, os exames mais importantes na armação do time têm sido os de Covid-19. A equipe ficou fora da primeira rodada do Brasileiro por estar, na ocasião, com nove atletas infectados pelo novo coronavírus. Agora são 15 os desfalques por esse motivo. PALMEIRAS Weverton; Marcos Rocha, Luan (Vitor Hugo), Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino, Ramires (Bruno Henrique) e Zé Rafael; Rony e Luiz Adriano. T.: Vanderlei Luxemburgo GOIÁS Marcelo Rangel; Juan Pintado (Yago Rocha), Fábio Sanches, Rafael Vaz e Heron; Breno, Luiz Gustavo e Daniel Bessa; Douglas Baggio (Thalles), Vinícius Lopes e Victor Andrade. T.: Ney Franco Estádio: Allianz Parque, em São Paulo Horário: 21h30 Juiz: Paulo Roberto Alves Junior (PR)

Deixe um comentário