Atlético-MG conversa com o Santos por Sasha para vencer assédio estrangeiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

BELO HORIZONTE, MG, E SANTOS, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Atlético-MG iniciou conversas com o Santos a fim de chegar a um acordo por Eduardo Sasha, em litígio com os paulistas. Os mineiros ainda não apresentaram uma proposta, mas têm interesse na liberação do jogador de 28 anos. O desejo do Atlético é ter um acerto com o clube da Vila Belmiro antes da audiência marcada para 18 de agosto (próxima terça-feira). O presidente Sérgio Sette Câmara e o diretor de futebol Alexandre Mattos temem o assédio do exterior sobre o atacante, um dos pedidos de Jorge Sampaoli no mercado da bola. Eduardo Sasha pede R$ 15 milhões ao Peixe, alegando atraso salarial e no recolhimento do FGTS (Fundo de Garantia sobre o Tempo de Serviço). O Santos quer 5 milhões de euros (R$ 32,34 milhões ou cerca de US$ 6 milhões) pela liberação do jogador de forma imediata. O valor está descartado pelo Atlético, que fará uma proposta financeira até esta quinta-feira (13) com o intuito de chegar a um desfecho positivo ainda nesta semana. O temor do Atlético é que o assédio do exterior seja intensificado nos próximos dias, sobretudo após uma liberação por vias judiciais. Há clubes da China e do Japão monitorando a situação do atleta, que marcou 14 gols em 34 partidas da edição passada do Campeonato Brasileiro. O Atlético não descarta assumir parte da dívida —ou até o valor integral— do Santos com o Internacional pela compra de 50% dos direitos econômicos de Eduardo Sasha. A situação será colocada em prática nos próximos dias. O Santos prioriza negociar Sasha apenas por dinheiro, sem inclusão de jogadores no negócio. O intuito é quitar a dívida com o Hamburgo (ALE) e ser liberado pela FIFA para poder contratar jogadores. Ainda assim, o Atlético não descarta tentar a inclusão de jogadores, como o meia Otero, no negócio.

Deixe um comentário