Fapes seleciona projetos de pesquisa de agroecologia sobre rompimento da barragem em Mariana

Os pesquisadores terão prazo até 29 de abril de 2022 para apresentarem suas propostas
O total de investimentos é de R$ 760 mil em recursos da Fundação Renova. (Foto: Reprodução)

As regiões capixabas do Rio Doce atingidas pelos resíduos oriundos do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, ocorrido 2015, vão receber mais uma cooperação do Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), visando à recuperação do local.

Foi lançado na última sexta-feira (25), o Edital Fapes/Fundação Renova nº 03/2022, em parceria com a Fundação Renova, para a seleção de projetos que integrem atividades de pesquisa, educação e extensão em agroecologia e produção orgânica nas aéreas capixabas da Bacia do Rio Doce. O total de investimentos é de R$ 760 mil em recursos da Fundação Renova.

A chamada é fruto do Acordo de Cooperação Técnica celebrado em 2017 entre a Fapes e a Fundação Renova, que regulamenta as regras do edital. Os pesquisadores terão prazo até 29 de abril de 2022 para apresentarem suas propostas, que devem ser direcionadas a uma ou mais linhas temáticas dentro do total de 11 estabelecidas. As submissões devem ser feitas na plataforma interna da Fapes (www.sigfapes.es.gov.br).

Os interessados devem ser vinculados a Instituições de Ensino Superior ou Pesquisa, públicas ou privadas sem fins lucrativos, localizadas no Espírito Santo, que estejam vinculados ou desejam implementar Núcleos de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA) ou a Rede Estadual de Núcleos (R-NEA).

O valor dos recursos financeiros solicitados à Fapes em cada proposta deverá observar os valores mínimo e máximo apresentados no quadro abaixo:

Rede Estadual de Núcleos          (RNEA-ES)Núcleos de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEAs)
Mínimo deMáximo deMínimo deMáximo de
R$ 180.000,00R$ 250.000,00R$ 100.000,00R$ 170.000,00

Objetivos

O edital vai apoiar a infraestrutura científica, tecnológica e de inovação baseadas em 13 objetivos, sendo dois centrais:  

  • Induzir a formação da Rede Estadual de Núcleos (RNEA-ES) que integre informações dos núcleos relativas às tecnologias e conhecimentos relacionados à produção orgânica de base agroecológica;
  • Induzir a formação de Núcleos de Estudos em agroecologia e produção orgânica (NEA`s) nas linhas temáticas apresentadas no edital.

Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA) – é um espaço de construção de conhecimento agroecológico a partir de ações de Ensino, de Pesquisa e de Extensão que mobilizam interações entre agricultura de base ecológica e a sociobiodiversidade nos territórios.

Rede Estadual de Núcleos de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica (RNEA-ES) – é a organização estruturada de grupos que desenvolvem projetos de pesquisa e extensão de NEAs de diferentes instituições do Estado, que articulem e materializem ações de Agroecologia, por meio da criação e fortalecimento de um ecossistema de cooperação e troca de saberes e boas práticas, e que possam, por sua vez, levar à diversificação e ampliação das ações coletivamente.

Agroecologia x Agricultura Orgânica

agroecologia é uma forma de conhecimento que pretende superar os danos causados à biodiversidade e à sociedade como um todo pela prática da monocultura, do emprego dos transgênicos, dos fertilizantes industriais e dos agrotóxicos, sendo uma ferramenta para o desenvolvimento sustentável.

A ciência agroecológica norteia os sistemas orgânicos da produção como a cobertura permanente do solo, adubação verde, rotação de culturas, controle de erosão com práticas de conservação do solo, proteção contra os ventos, consorciação de culturas, entre outras.

Por outro lado, a agricultura orgânica é a aplicação prática dos conhecimentos gerados pela agroecologia e abrange todas as linhas de base ecológica, como biodinâmica, natural e conservacionistas.

Edital Fapes/Fundação Renova nº 03/2022
Prazo submissão: até o dia 29 de abril
Site para submissão: www.sigfapes.es.gov.br

Deixe um comentário