Mapeamento revela cenário das startups capixabas

O Espírito Santo conta com mais de 110 startups, distribuídas por 13 municípios
O Secretário Tyago Hoffmann destacou outras ações em curso, com foco no fortalecimento do ecossistema de inovação capixaba. (Foto: Larissa Linhalis/Sectides)

Um levantamento realizado com o apoio do Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento (Sectides), apontou que 22,12% das startups capixabas foram fundadas no ano de 2020, quando teve início a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O Mapeamento de Startups do Espírito Santo é uma parceria entre a EDP e a Liga Ventures. Os resultados foram apresentados em evento realizado nesta quinta-feira (03), no Palácio da Fonte Grande, em Vitória.

Segundo o mapeamento, o Espírito Santo conta com mais de 110 startups, distribuídas por 13 municípios e separadas em 27 categorias, com destaque para as EdTechs, Fintechs e HealthTechs (soluções tecnológicas nas áreas de Educação, Finanças e Saúde, respectivamente). Mais de 60% das startups ativas no Estado foram fundadas entre os anos de 2017 e 2021.

Outro dado relevante apontado pelo estudo é que cada startup capixaba contrata, em média, 56 colaboradores. Além de identificar as startups ativas e as características dessas, o levantamento realiza uma análise do cenário de inovação e empreendedorismo capixaba.

A ação faz parte do programa de Fortalecimento do Ecossistema Capixaba de Ciência, Tecnologia e Inovação e colabora com importantes entregas já em andamento pelo Governo do Estado, como o Startups e Empreendedorismo Estadual em Desenvolvimento no Espírito Santo (SEEDES), o primeiro programa público de aceleração de startups do Estado.

Além do SEEDES, o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, destacou outras ações em curso, com foco no fortalecimento do ecossistema de inovação capixaba, como a Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI), atuante no Espírito Santo desde agosto de 2018, e que representante uma ação conjunta e alinhada de atores locais em prol da inovação.

“Temos diversas outras iniciativas nesta área, como o programa Centelha, que está em sua segunda edição, o ES+Criativo, o PitchGov, além de mais de 12 milhões em editais de inovação e missões a outros ecossistemas. O governador Renato Casagrande tem a clara visão de que não se constrói desenvolvimento, sem ciência, tecnologia e inovação”, frisou Hoffmann.

De acordo com o secretário, o mapeamento permite monitorar o êxito das ações responsáveis por estimular a inovação no Estado. “Estamos trabalhando para posicionarmos o Espírito Santo entre os cinco Estados mais inovadores do Brasil, contribuindo para o surgimento de um novo ciclo econômico e de prosperidade para a sociedade capixaba”, acrescentou.

Presente no encontro, a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, agradeceu a parceria da EDP. “Estamos muito satisfeitos em ser parceiro da EDP na conquista de um investimento forte em educação e inovação, buscando os melhores talentos e ideias, e incentivando a aceleração de negócios tecnológicos no Espírito Santo. Juntos, podemos contribuir para o fortalecimento do ecossistema de inovação local¸ com o objetivo de melhorar a vida das pessoas, que é o sentido maior das instituições públicas”, pontuou a vice-governadora.

“A EDP tem como missão liderar a transição energética e o caminho para este objetivo é a inovação. Afinal, a inovação de hoje é a sustentabilidade de amanhã. Daí o nosso interesse em apoiar as startups do Espírito Santo, um Estado que tem papel central na estratégia da Companhia no País”, afirmou o CEO da EDP Brasil, João Marques da Cruz.

O mapeamento contou com diversos parceiros locais, como FindesLab, Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI), Base27 – Hub de Inovação da Engenharia e Construção, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes), Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Azys e Rede Vitória.

Deixe um comentário