Unidade prisional feminina de Colatina realiza homenagem ao Dia da Consciência Negra

A programação contou com oficinais de maquiagem e produção de bonecas africanas, além de apresentação de danças afro, declamação de poemas e roda de samba
O evento contou com a presença da Vice-governadora, Jacqueline Moraes. (Foto: Eduardo Meirelles/Vice-Governadoria)

O Dia da Consciência Negra, celebrado ontem (20), foi lembrado durante homenagem realizada no Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL). O evento realizado na última quinta-feira (18) teve a presença da Vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes. Com tema “Uma reflexão histórica sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e o combate ao racismo”, a programação contou com oficinais de maquiagem e produção de bonecas africanas, além de parte cultural com a apresentação de danças afro, declamação de poemas e roda de samba.

Também houve a declamação do poema “Não desiste Negra” e apresentações musicais do quarteto do CPFOL, composto por internas da unidade, e pelo Grupo Girassol, formado por inspetoras penitenciárias.

“O período de ressocialização é quando as pessoas precisam acreditar que existe o poder de se ressignificar e de construir uma nova história. Essas ações são fundamentais para ajudar nesse processo, trazendo oportunidade de aprendizado através de oficinas, além da discussão – mais do que necessária – sobre o combate à discriminação feminina e o racismo. Precisamos que as mulheres negras ocupem o seu lugar de fala e tragam assim representatividade para incentivar cada vez mais outras mulheres”, afirmou a vice-governadora.

Para o subsecretário de Estado para Assuntos do Sistema Penal, Alessandro Ferreira de Souza, o evento marca a política de governo voltada para a ressocialização e a transformação do indivíduo. “No sistema prisional abordamos diversas temáticas em oficinas, projetos e ações voltados aos apenados. Esta Semana da Consciência Negra é uma delas, sendo uma maneira de promover uma reflexão sobre o tema junto à comunidade prisional, bem como valorizar a cultura afrodescendente”, pontuou.

“Saber que uma unidade penitenciária realiza trabalhos relativos ao Dia da Consciência Negra é realmente muito importante. E nós, da Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), temos que levar esse debate para todos os espaços, logo, não deixaríamos de fora o sistema prisional. Participamos, com muito orgulho, desta atividade com nossa vice-governadora, voltada para as internas do Centro Prisional Feminino de Colatina. Só com debates e muita reflexão sobre racismo e igualdade racial poderemos viver numa sociedade democrática”, disse a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo.

Professores que atuam na Educação de Jovens e Adultos (EJA) na unidade feminina também contribuíram com a homenagem ao Dia da Consciência Negra. A professora de história, Valdineia Adão, fez uma reflexão sobre o tema e o empoderamento feminino. O evento contou ainda com danças praticadas por internas, dirigidas pela inspetora Vania Muller, que exaltaram a figura de Dandara de Palmares, símbolo de resistência à escravidão.

Deixe um comentário