Covid-19: Ministério da Saúde discute ações para conter novas cepas

Meta é evitar que novas variantes se espalhem pelo país
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Saúde e as prefeituras da capital paulista e de Guarulhos estão discutindo ações conjuntas para tentar evitar que novas variantes da covid-19 se espalhem pelo país.

Segundo o Ministério da Saúde, as cidades de Guarulhos, sede do aeroporto internacional mais movimentado do país, e de São Paulo são focos de maior preocupação em relação a uma possível disseminação de mutações do vírus causador da covid-19, em particular, a cepa recentemente identificada na Índia (B.1.617)

Neste sábado (22), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, conversou, conjuntamente, por videochamada, com o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, e com o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido. Também participaram da conversa técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da coordenadoria de Vigilância em Saúde da capital paulista, além do secretário-executivo da secretaria estadual de Saúde, Eduardo Ribeiro Adriano .

Aparecido apresentou ao ministro o plano de ações municipais para tentar prevenir, identificar e controlar a disseminação de eventuais novas variantes do novo coronavírus na cidade de São Paulo. O plano prevê medidas como a tentativa de identificar pessoas com sintomas da doença em aeroportos, terminais rodoviários e rodovias de acesso a São Paulo. Uma vez identificadas por meio da aferição da temperatura, as pessoas sintomáticas serão testadas e, em caso positivo para covid-19, deverão ser isoladas.

Anvisa atua nos aeroportos e portos

Em nota, a Anvisa informou que já trabalha dentro de aeroportos e portos de todo o país, abordando passageiros e procurando detectar casos suspeitos informados às secretarias estaduais e municipais para que estas verifiquem se são infecções e, também, as pessoas que tiveram contato recente com quem testou positivo. Além disso, o Brasil vetou a entrada de passageiros provenientes da Índia, Reino Unido, Irlanda do Norte e África do Sul.

A proposta da prefeitura de São Paulo também prevê ações educativas e a divulgação de mensagens sobre os sintomas, formas de prevenção e de contenção da doença em aeroportos e terminais rodoviários. 

Para colocar as medidas em prática, a secretaria municipal de Saúde espera contar com o apoio de servidores da Anvisa e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), com a qual propõe uma parceria para realizar ações no terminal rodoviário do Tietê e nas estradas federais Fernão Dias e Presidente Dutra.

Durante a reunião de hoje, o ministro Marcelo Queiroga manifestou maior preocupação com a variante B.1.617. “Considerando que São Paulo é a maior cidade do país e Guarulhos o maior aeroporto, devemos reforçar a vigilância para que essa variante não se espalhe pelo Brasil” disse o ministro da Saúde.

Segundo a prefeitura de São Paulo, até o momento, não há qualquer evidência da presença da variante B.1.617 do novo coronavírus na cidade. Ainda assim, a prefeitura considera “essenciais” as medidas de controle às pessoas que chegam à capital paulista, procedentes de outras regiões.

Por Alex Rodrigues/Agência Brasil – Brasília

Deixe um comentário