Mercado de eventos vê perspectiva de sobrevivência com aprovação de auxílio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Empresários do mercado de eventos receberam com alívio a aprovação pela Câmara do programa para retomada do setor na quarta (3). Para Daniel Neves, presidente da Anafima (associação da indústria da música), o projeto pode evitar mais quebradeira de empresas e um desmonte do setor. Segundo ele, a possibilidade de renegociar dívidas tributárias com o Fisco Federal deve ajudar a buscar crédito novo e pagar as contas. Doreni Caramori, presidente da Abrape (que reúne promotores de eventos), comemora a previsão de um crédito subsidiado carimbado para as empresas do setor. “Nos primeiros ciclos de programas de ajuda, houve mais demanda que oferta, e os agentes escolheram as empresas que mostravam melhores condições, em vez das companhias de eventos”, afirma. O texto ainda precisa passar pelo Senado. Auxiliares do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, afirmam que o assunto será prioritário. Além da possibilidade de renegociar dívidas tributárias e ter novas fontes de financiamento, o projeto também prevê isenção de Pis, Cofins e CSLL por 60 meses e a possibilidade de que voltem a suspender contratos de trabalho e reduzir jornadas até o final de 2021. Cinemas e empresas de hotelaria também se beneficiam das medidas.

Deixe um comentário