Caos em Araraquara faz Ministério Público pedir mudança em jogo da Ferroviária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Em meio ao caos pelo agravamento da pandemia do novo coronavírus, o Ministério Público de São Paulo pediu à Prefeitura de Araraquara a suspensão dos treinos das equipes esportivas locais de alto rendimento e a transferência da próxima partida da Ferroviária, pelo Campeonato Paulista, para outro município. A cidade é a de pior situação no estado em relação à pandemia e vem sendo assolada pela nova variante do vírus. O prefeito Edinho Silva (PT) decretou lockdown enquanto o município tiver 100% de ocupação de leitos e mortes em disparada. A Ferroviária disputa a primeira divisão do Campeonato Paulista e na próxima segunda-feira (8) tem marcado um duelo contra o Botafogo-SP em seu estádio, a Fonte Luminosa. O Ministério Público pede que essa partida seja disputada em uma cidade que não esteja em confinamento. Questionadas sobre o assunto, a Federação Paulista de Futebol, a Prefeitura de Araraquara e a assessoria do clube não responderam até a publicação da reportagem. O Ministério Público também pede para que as os treinos de equipes esportivas de alto rendimento, federadas ou confederadas, sejam suspensos até que haja autorização para que academias (ou atividades similares) voltem a funcionar. O time da Ferroviária estreou pelo Campeonato Paulista no dia 28 de fevereiro, em Araraquara, vencendo a Inter de Limeira por 1 a 0. Na segunda rodada, na Vila Belmiro, empatou em 1 a 1 com o Santos. A cidade também abriga a equipe feminina da Ferroviária, que em 2019 foi campeã do Brasileiro. Atualmente, o time está na Argentina, onde disputa a Copa Libertadores de 2020 (adiada para este ano em razão da pandemia). O torneio é disputado em uma “bolha” sanitária. Na última quarta-feira (3), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) decidiu colocar todo o estado na fase vermelha, a mais rígida da quarentena paulista, na qual apenas serviços essenciais podem funcionar. No entanto, os campeonatos esportivos têm autorização para prosseguir como antes, sem público e com protocolos de testagem. A continuidade do futebol enquanto o país passa por seu momento mais grave da pandemia gera debate entre dirigentes. À reportagem, o presidente santista Andrés Rueda disse na última quinta (4) que a decisão mais correta seria suspender todas as competições para salvar vidas. Antes, o técnico Lisca, do América-MG, pediu o adiamento de partidas da Copa do Brasil. Dirigentes de Grêmio e Fortaleza, por outro lado, entendem que os protocolos sanitários aprovados garantem a segurança da atividade.

Deixe um comentário